CEO and CFO

Com que frequência um CFO deve falar com a Diretoria? Veja o que 9 CEO e CFOs tem a dizer

Um bom alinhamento entre o CFO e a Diretoria da empresa (especialmente com o CEO), é fundamental para o sucesso de qualquer organização. Mas como deve ser esta relação? Com que frequência eles devem estar em contato? Como as empresas em todo o mundo estão lidando com esta parceria?

Conversamos com 9 CEO e CFOs de diferentes empresas e países e lhes perguntamos “Com que frequência um CFO deve falar com a Diretoria?”. Aqui estão suas respostas:

Ricardo Amaral - CEO da R11

Ricardo Amaral   

CEO of R11 Travel – R11 Travel – Exclusive Distributor – Royal Caribbean Cruises Brazil 

“As informações do CFO são fundamentais para o Board e sempre que adequado devem ouvir da fonte. Um Duo afinado CEO e CFO deve se manifestar na construção, compilação e apresentação dos resultados atuais e todos os detalhes de investimentos, forecast e budget. Na R11 Travel é quase diário máximo dias alternados, seja verbal, presencial e reports fundamentais, informalmente ou formalmente em reuniões específicas.”  

Roberta Rosenburg - CFO da Husqvarna América Latina

Roberta Rosenburg 

CFO da Husqvarna América Latina

“O CFO deve falar diariamente ou sempre que possível com a diretoria. Não podemos ficar esperando para alinhar os temas e a comunicação é fator fundamental para uma empresa.”

VP da T-Systems

“Nos dias de hoje essas comunicações tem que ocorrer, no mínimo, quinzenalmente e o CFO tem papel fundamental em ajudar a viabilizar formas de reduzir custos, uso de novas tecnologias, busca de benefícios fiscais e forte gestão de caixa. A integração e alinhamento do board da empresa é fundamental para o sucesso da mesma.” 

Sergio Stelmach - CFO da CFIK

“Eu acredito que a comunicação de um CFO com a diretoria, presidência e Conselho deve ser diária. Reports, fatos, situações, insights e comentários do CFO, que está diariamente ligado aos resultados da empresa devem ser diariamente endereçados aos demais diretores, para que ações e decisões sejam rapidamente tomadas visando sempre a alavancagem dos resultados.”

Rita Piçarra - CFO da Microsoft Portugal

Rita Piçarra 

CFO da Microsoft Portugal 

“Lógico que pelo menos 1 vez por mês o CFO tem que falar com o conselho de administração, pelo menos 1 vez por mês com o tema: resultados e fecho do mês. Mas eu falo muito mais! Falo mais porque o CFO tem um papel muito mais vasto que isso”

Quer continuar conhecendo a visão de outros líderes do mercado?

Então confira a história deste CEO que reinventou seu processo de gestão de despesas

Claudio Starec - CEO da Certifica Portugal

Claudio Starec  

CEO Certifica Portugal


“isso deve variar muito em relação a 3 diretrizes:
1. Cultura da organização;

2. Perfil do gestor; 

3. Ambiente competitivo.

Dependendo desses 3 fatores te digo que deveris ser, mímimo 2 x semana. Na Certifica temos reuniões semanais” 

Nayab Yusuf Siddiqi - CFO da Rezy360

“Em minha experiência e opinião, o CFO deveria trabalhar em estreita colaboração com a Diretoria. Na maioria das vezes o valor que um CFO pode trazer à mesa em termos de visão financeira a longo e curto prazo, a qualidade dos processos e sistemas e a qualidade da receita é algo que uma Diretoria visionária deve valorizar. Um dos principais tópicos de interesse para qualquer Diretoria é o valor financeiro e não financeiro que a empresa está criando para seus acionistas. 

Um CFO eficaz, sendo o proprietário das informações financeiras e responsável pela administração financeira de uma organização pode muito facilmente coordenar com a Diretoria para alcançar sua visão e ajudar na formulação de estratégias práticas”.

Sebastien Marchon - CEO da Rydoo

Sebastien Marchon 

CEO of Rydoo

“Não há uma resposta direta a esta pergunta. A comunicação entre o CFO e a Diretoria pode e deve ocorrer várias vezes ao dia em períodos intensos, sejam eles períodos de crise ou de forte expansão. Os cenários comerciais devem ser construídos, modificados, desafiados e fortalecidos de forma contínua. Precisamos coletar dados e ser capazes de quantificar rápida e precisamente o impacto das opções de decisão que temos.

A comunicação tem que ser o mais rápida e fluida possível para otimizar o processo decisório (tomando a decisão certa dentro do prazo certo) e garantir um alinhamento completo no nível C e no nível do Conselho de Administração sempre que apropriado.

Dito isto, as interações entre o CFO e os outros membros do Conselho vão muito além dos puros relatórios e quantificações financeiras. Espera-se que o CFO participe de todas as principais decisões comerciais para ajudar a equipe a avaliar os prós e os contras, riscos e oportunidades que estão sobre a mesa. Portanto, é fundamental para um CFO construir um conhecimento super forte sobre os produtos da empresa, marketing, processos de vendas, operações ou mesmo sobre a estratégia de RH da empresa. E este conhecimento vem da interação contínua com os membros da diretoria e suas equipes. O CFO não é mais um “controlador” em sua torre de marfim. Ele está entre as equipes, interagindo constantemente com elas, a fim de estar em posição de desempenhar um papel de consultoria estratégica para o fato C da empresa.”

Karl Sousa - CFO da Phillip Morris International

Karl Sousa 

CFO of Phillip Morris International 

“A minha opinião é de que o CFO é o braço direito do CEO e como tal tem de estar em contato constante com o CEO. é muito importante estarem completamente alinhados para os direcionamentos na empresa sejam coerentes e a agilidade máxima.”

Originalmente publicado em , modificado

Girl subscribing to Rydoo's newsletter - Illustration

Subscreva a nossa newsletter